(Resenha) Orgulho e Preconceito - Jane Austen

Livro no Skoob: Orgulho e Preconceito
Título Original: Pride and Prejudice
Autora: Jane Austen
Editora: Martin Claret
Páginas: 424
Ano: 2018
COMPRE NA AMAZON

Jane Austen inicia Orgulho e Preconceito com uma das mais célebres frases da literatura inglesa: "É uma verdade universalmente reconhecida que um homem solteiro e muito rico deve precisar de uma esposa". O livro é o mais famoso da escritora e traz uma série de personagens inesquecíveis e um enredo memorável. Austen nos apresenta Elizabeth Bennet como heroina irresistível e seu pretendente aristocrático, o sr. Darcy. Nesse livro, aspectos diferentes são abordados: orgulho encontra preconceito, ascendência social confronta desprezo social, equívocos e julgamentos antecipados conduzem alguns personagens ao sofrimento e ao escândalo. Porém, muitos desses aspectos da trama conduzem os personagens ao auto-conhecimento e ao amor. O livro pode ser considerado a obra prima da escritora, que equilibra comédia com seriedade, observação meticulosa das atitudes humanas e sua ironia refinada.

Orgulho e Preconceito foi publicado em 1813, desde então tem sido um dos livros mais celebrados de todos os tempos! Jane Austen, autora dessa obra atemporal conquista até hoje em pleno século XXI legiões de leitores, que veem os seus livros com fascínio. O poder de escrita da autora é bem a frente do seu tempo, apesar de nunca ter se casado, a história de Elizabeth e Darcy, foi escrita antes dos 21 anos da autora. Jane, foi uma mulher que compreendia os dilemas de uma época repleta de conflitos morais, culturais, e conjugais, na sociedade aristocrática da Inglaterra. 

Elizabeth Bennet é a nossa protagonista, e logo nos apaixonamos pela inteligência da personagem, pela sua incrível sagacidade, e a capacidade de enxergar a verdade, e de falar com coerência em várias situações em que a vida lhe impõe. E a recente situação não será fácil, pois Elizabeth em um baile local irá conhecer Sr. Darcy, um homem arrogante, orgulhoso, e muito rico que não costuma tratar as pessoas muito bem, e Elizabeth que não é rica, mas possui uma personalidade forte, logo irá perceber o quanto o Sr. Darcy pode ser insuportável e não digno de sua atenção.

''Há poucas pessoas que eu amo de verdade, e menos pessoas ainda de que eu tenho boa opinião. Quanto mais conheço o mundo, mais me sinto insatisfeita com ele; e a cada dia se confirma a minha crença na incoerência de toda a personalidade humana, e na pouca confiança que podemos depositar na aparência de mérito ou de razão.''

A história se passa em Netherfield e narra o cotidiano de Elizabeth e de suas quatro irmãs, e da senhora Bennet,  mãe das garotas, que deseja ansiosamente o casamento das suas filhas, a senhora Bennet não é uma mulher de maneiras tímidas, e isso muitas vezes causa certo constrangimento para suas filhas, que precisa aguentar de maneira cortês os ditames da mãe em público, diferente do senhor Bennet, o pai, um cavalheiro que não aprova a superficialidade da esposa, mas que ama muito as filhas, e que tem em Jane um carinho especial, por ser uma filha tão sincera. 

Muitos acontecimentos estão por vir para abalar a vida pacata dessas moças, principalmente quando um primo chamado Collins chega na propriedade dos Bennet para pedir uma das filhas da senhora Bennet em casamento, afinal o senhor Bennet não possui filhos homens, e Collins é o parente mais próximo para herdar a propriedade da família, pois é, costumes daquela época, já imaginou? Também o que gostei na história foi ver a amizade entre irmãs, Jane a irmã mais velha e Elizabeth são muito amigas e confidentes uma da outra, por isso a relação das duas tendem a ficar mais forte, quando Jane conhece o senhor Charles Bingley, que veio passar uma temporada em Netherfield, ele é um homem simpático, rico, e um grande amigo do Sr. Darcy. Jane, sente-se atraída por Bingley, mas devido a uma série de incidentes a relação dos dois será bem complicada.

Por outro lado, a relação de Elizabeth e Darcy, continua entre farpas, ela conhece então George Wickham, um oficial de caráter bastante duvidoso, que não medirá esforços para difamar Darcy aos olhos de Elizabeth, será que ele terá êxito? Nosso protagonista masculino, Sr. Darcy é um personagem que no começo da história se revela bastante presunçoso, talvez devido a sua posição social, e acaba tendo certas atitudes incomodas, mas é no decorrer da leitura que iremos compreendê-lo, e a começar a suspirar por esse personagem ícone criado por Austen, que arrebata corações até hoje, afinal, que mulher não sonha com um homem que a ame ardentemente?

''Tentei lutar, mas em vão. Não consigo mais. Não posso reprimir meus sentimentos. A senhorita tem de permitir dizer com quanto ardor eu a admiro e a amo.''

Darcy e Elizabeth, são incrivelmente parecidos, em suas personalidades, envaidecidos e orgulhosos, e passamos o livro todo absortos nas intrigas desse casal, e como tudo será superado, são muitos os desentendimentos, e Elizabeth é tão racional, de opiniões fortes, e muito convicta de seus ideais sobre o amor, e sobre casamento, apesar de ser uma moça sem riquezas. A magia em ler Orgulho e Preconceito foi acompanhar esses protagonista que nos ensina tanto sobre relacionamento, e amor, e tornou Elizabeth uma das minhas personagens femininas favoritas da literatura.


Jane Austem com sua escrita tão autentica, com mulheres fortes e sensatas, conseguiu ganhar mais uma admiradora, o próximo livro que irei ler da autora é Razão e Sensibilidade, espero me apaixonar novamente por suas histórias. E imaginem a minha felicidade em poder ler Orgulho e Preconceito em uma edição tão linda, a editora Martin Claret, publicou novas edições das obras da autora, e o trabalho ficou tão incrível e caprichado que é impossível não querer todos os livros na estante, a edição em capa dura é 14x21 e a tradução é de Roberto Leal Ferreira.

ORGULHO E PRECONCEITO foi cedido em parceria com a EDITORA MARTIN CLARET


Sobre a autora:


Jane Austen (Steventon, 16 de dezembro de 1775 – Winchester, 18 de julho de 1817) foi uma proeminente escritora inglesa. A ironia que utiliza para descrever as personagens de seus romances a coloca entre os clássicos, haja vista sua aceitação, inclusive na atualidade, sendo constantemente objeto de estudo acadêmico, e alcançando um público bastante amplo.

15 comentários:

  1. Que linda capa, que linda história confesso que estou lendo meu primeiro romance de época, mas estou amando esse gênero que sempre tem aquela dama a frente de seu tempo que não se derrete por qualquer conde egocêntrico, onde eles tem que lutar e engolir o orgulho para conquistar a dama. Com essa resenha já sei qual livro desse gênero será o próximo que irei ler. "Livia Cardoso"

    ResponderExcluir
  2. Sem dúvidas a leitura mais intensa e mais aprazível que li na vida. Um romance assim merece ser lido por todos, não se encontra uma mulher como Elizabeth não se encontra em qualquer livro de época. Indubitavelmente esse é um dos meus livros favoritos! * Tayssa Ramos*

    ResponderExcluir
  3. Sinceramente nunca me interessei pela leitura dessa obra, talvez seja pelo fato de que romances de época não costumam me despertar interesse. No entanto é possível notar que o romance e muito bem construído, e que vem cativando milhares de leitores do século XXI, porém não me sinto atraída pela leitura. Inclusive gostei muito da novela que a Globo fez baseado nessa história.

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Que edição mais linda! Ainda não tive a oportunidade de ler essa aclamada obra, mas assim que possível irei ler, acho que é quase um dever, hahaha. Adorei tua resenha e minha curiosidade só aumentou!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  5. Eu sou apaixonada por essa edição da Martin Claret e espero conseguir comprar um dia hahahaha. Sobre a história, é um clássico que amo! Li poucas coisas da autora, mas esse foi o meu primeiro contato e guardei a história no coração

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  6. Quando falamos de clássicos, como os livros de Jane Austen, muita gente torce o nariz, ou fica receosa de que será um livro maçante. Mas não, a história é tão envolvente, e os personagens secundários tão bem utilizados que a leitura é leve e passa num piscar de olhos. E é claro, há algumas cenas chave que acabamos voltando para ler duas, três vezes, porque são lindas passagens.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  7. Olá

    Sou suspeita em falar dos livros da Jane porque sou apaixonada pela escrita de hábitos tão banais e ao mesmo tempo ela criticar os modelos sociais e alguns comportamentos não naturais,como a falta de espontaneidade que é mostrado pela figura de Lizzy e suas irmãs mais novas.

    Essa edição é lindíssima mesmo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Eu sou suspeita a comentar na sua resenha hahaha, já que amo muito esse livro, ele é um dos meus favoritos da vida. Sou apaixonada pela escrita da Jane, já li umas quatro vezes e recomendo para todo mundo

    bjs

    ResponderExcluir
  9. Eu quero morrer por ainda não conhecer a escrita dessa mulher e olha que a história desse livro em particular é muito conhecida, ainda mais depois da novela (distorcida) que passou na TV. Sou apaixonada por Elizabeth e Darcy sem mesmo conhece-los, mas me falta conferir essa autenticidade da autora pessoalmente. Tenho que concordar sobre a edição da Martin Claret, está linda de viver e também queria todos os livros na minha estante, quem sabe né?!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem? Li esse livro da Jane há uns bons seis anos, mas lembro que não gostei, por ser muito arrastado e eu não gostar do casal principal haha. Ou seja, acho que não sou uma fã de carteirinha da autora, mas quero ainda ler Emma, que é uma das narrativas que mais me chamam atenção dela. Essa capa tá linda e a sua foto também :)

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Essa é uma daquelas leituras que sempre prometo fazer mas acabo nunca realizando, mais por conformismo do que por falta de vontade, sabe? Por outro lado, é muito bom ver como Jane é uma autora reconhecida por tanta gente. Essas edições da Martin são lindas demais, fico apaixonada!

    ResponderExcluir
  12. Oi Elidiane, tudo bom?

    Você acredita que eu nunca consegui ler Jane Austen, vi o filme achei a história interessante, mas a escrita dela, não importa a edição e tradução, eu não curto. Sou anti-clássico eu acho, torço o nariz para um monte.

    Amei essa capa, muito bonita e uma das melhores que eu já vi desse título.

    Tiffannyk
    #thereviewbooks | @thereviewbooks
    http://thereviewbooks.com.br

    ResponderExcluir
  13. Essa capa está tão linda e a edição parece ser a coisa mais fofa!
    Eu ainda não li nada da Jane Austen vergonhoso admitir, e preciso mudar isso urgentemente. Adorei a sua resenha e espero poder ler esse ano ainda.

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem? AH essa edição é maravilhosa né?! Eu tenho ela e acho LINDA! Ainda não tive chance de ler o livro nessa edição mas espero mudar em breve. Amo Jane Austen, ainda mais Orgulho e Preconceito. Ótima resenha!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Ahh essa edição é MUITO AMOR, sou louca para ter uma haha.. comecei a ler esse clássico, mas acabei parando rs' mas pretendo voltar a ler, a minha edição a letra é muito pequena, então força a vista que já não anda muito boa rs'. Preciso ler esse clássico e conferir mais esses personagens! ótima resenha!

    beijos!

    ResponderExcluir