(Resenha) O Ódio Que Você Semeia - Angie Thomas

Livro no Skoob: O Ódio que Você Semeia
Título Original: The Hate U Give
Autora: Angie Thomas
Editora: Galera Record
Páginas: 378
Ano: 2017

Uma história juvenil repleta de choques de realidade. Um livro necessário em tempos tão cruéis e extremos.Starr aprendeu com os pais, ainda muito nova, como uma pessoa negra deve se comportar na frente de um policial.Não faça movimentos bruscos.Deixe sempre as mãos à mostra.Só fale quando te perguntarem algo.Seja obediente.Quando ela e seu amigo, Khalil, são parados por uma viatura, tudo o que Starr espera é que Khalil também conheça essas regras. Um movimento errado, uma suposição e os tiros disparam. De repente o amigo de infância da garota está no chão, coberto de sangue. Morto. Em luto, indignada com a injustiça tão explícita que presenciou e vivendo em duas realidades tão distintas (durante o dia, estuda numa escola cara, com colegas brancos e muito ricos - no fim da aula, volta para seu bairro, periférico e negro, um gueto dominado pelas gangues e oprimido pela polícia), Starr precisa descobrir a sua voz. Precisa decidir o que fazer com o triste poder que recebeu ao ser a única testemunha de um crime que pode ter um desfecho tão injusto como seu início. Acima de tudo Starr precisa fazer a coisa certa. Angie Thomas, numa narrativa muito dinâmica, divertida, mas ainda assim, direta e firme, fala de racismo de uma forma nova para jovens leitores. Este é um livro que não se pode ignorar.

Esse é daqueles livros que quando chega não bate na porta, ele invade e não te dar nenhum espaço, não se deixa ser ignorado ou posto de lado, ele se impõe ao leitor da mesma forma que a protagonista irá lutar para se impor em meio a uma sociedade racista, que podem calar sua voz e contarem sua história de maneiras que ela apenas podia imaginar, esse livro é um grito que ecoa no escuro, e nós não podemos deixar de ouvi-lo.

O Ódio Que Você Semeia nos apresenta Starr, uma jovem negra que logo no início do livro passa por uma situação traumática, ao presenciar o assassinato de seu melhor amigo Khalil, mesmo tendo agido da maneira que seu pai a ensinou, mantendo um comportamento tal qual um animal na mira de um caçador, as coisas acabaram terrivelmente más, e agora ela deve enfrentar um dilema, contar para todos o que viu naquela noite, ou se calar e tentar seguir em frente?

Antes de iniciar a leitura me deparei com muitas opiniões a respeito do livro, porém procurei não ler nenhuma delas a fim de não gerar interferências na minha experiência com ele, normalmente sou do tipo que quando um livro vem muito hypado acabo ficando com um pé atrás, pois acabo criando muitas expectativas e me decepcionando depois, mas neste livro posso falar com certeza que ele superou e muito as minhas expectativas, a autora soube explorar não apenas a protagonista, mas também o núcleo no qual ela estava inserida, as pequenas coisas do dia-a-dia com sua família, experiências escolares, como a vida no gueto afetava suas amizades, o envolvimentos de amigos e familiares com o mundo das drogas, tudo isso é descrito de forma crível e real, que faz a gente imaginar a vida de qualquer pessoa que passe por isso.

Um dos medos que tive em relação a esse livro era que desde o início eu sabia que abordaria um tema muito delicado, o racismo esta presente em todo mundo, na maioria das sociedades, mesmo aquelas que se declaram a favor da igualdade entre as raças, os EUA é um país extremamente racista onde a morte de um garoto negro não deixa ninguém surpreso, a banalidade com que se trata a vida de alguém pela cor de sua pele é algo que choca, mas que é comum até mesmo para nós que também temos nossa própria cota de racismo no país, e não é pouca. 

Angie Thomas, criou uma história que você sabe o final, mas ainda se agarra com todas as forças esperando que por algum milagre possa ser diferente, faz a gente pensar no poder que temos ao lutar pelo direito das minorias, de defender a justiça, mesmo que seja uma luta perdida. Com uma história regada a raps, citações a Um maluco no pedaço, guerra de gangues, e o descobrimento da Starr e de sua própria força, O Ódio Que Você Semeia entra para lista de um dos melhores livros de seu gênero.


O ÓDIO QUE VOCÊ SEMEIA foi cedido em parceria com a GALERA RECORD

Sobre a autora: 


Angie Thomas nasceu e foi criada em Jackson, no Mississippi, o que se percebe pelo seu sotaque. Quando adolescente, era rapper e sua maior conquista foi ter escrito um artigo sobre si mesma na Revista Right On! É bacharel em escrita criativa pelo Bethaven University e possui um diploma não oficial em Hip Hop. Ela ainda sabe fazer Rap, se for preciso. Seu livro de estreia, O Ódio Que Você Semeia (The Hate U Give), foi o primeiro a vencer o Walter Dean Meyers Grant, em 2015, na categoria We Need Diverse Books. O romance será adaptado para o cinema, pela Fox, e chegou ao primeiro lugar da lista do New York Times na semana de seu lançamento. 

1 comentários:

  1. Gostei da resenha Janiele. Esse livro está sendo bem comentado na blogosfera e o seu conteúdo realmente leva a muitas reflexões. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir