(Resenha) Time Humanos - Justine Larbalestier e Sarah Rees Brennan

Livro no Skoob: Time Humanos
Título Original: Team Human
Autoras: Justine Larbalestier e Sarah Rees Brennan
Editora: Galera Record
Páginas: 352
Ano: 2017

A história ideal para quem ama ou odeia livros de vampiros. Mel nunca gostou de vampiros. A ideia de se transformar em alguém que não está nem vivo, nem morto lhe dá calafrios. Vampiros perdem a capacidade de sorrir, param de ter sentimentos.... Isso sem falar que durante a transformação, se as coisas derem errado, você se torna um zumbi. E aí eles matam você. É um risco grande demais! Quando a melhor amiga de Mel, Cathy, e Francis Duvaney se apaixonam, a garota fica apavorada. Francis é arrogante, formal, metido a esperto e esplêndido demais. Ora, vivo aquele vampiro não está. E quando começa a suspeitar de que Francis está usando Cathy num plano que não tem nada a ver com amor, Mel passa a dedicar seus dias a desvendar a verdade por trás do vampiro, a fazer sua amiga enxergar que aquele é um amor sem futuro, sem jeito, abominável..., mas talvez, quem sabe, ela esteja sendo um pouco preconceituosa...

Se você assim como eu, estava na adolescência a mais ou menos 10 anos atrás, no auge da primeira adaptação da série Crepúsculo de Stephenie Meyer para o cinema (não parece, eu sei, mas sim, lá se vão quase 10 anos do lançamento do primeiro filme), que abalou todo o universo literário, sabe como fomos bombardeados por tudo quanto era livros de vampiros e todas as possíveis variações sobrenaturais. A internet inteira só falava disso, e assim como muitas adolescentes na época, eu confesso que também me apaixonei pelo misterioso (e brilhante, rsrs) Edward Cullen.

Mas em contrapartida, se ouviu tanto falar sobre o assunto, que ficamos saturados. Eu praticamente adquiri aversão a livros com essa temática, e mesmo após tanto tempo, ainda fico com um pé atrás com esse tipo de leitura. Porém, Time Humanos é um daqueles livros que se você ama vampiros, vai adorar lê-lo, se você odeia vampiros, também vai adorar lê-lo, e se você tem uma relação de amor e ódio com os vampiros (tipo eu), ainda assim, vai adorar lê-lo. 

Mel é nossa protagonista, ela mora em New Whitby, uma cidade onde vampiros e humanos convivem juntos, aos 17 anos ela faz o ensino médio, e tem total aversão a vampiros. Porém a sua melhor amiga Cathy é completamente fascinada por essas criaturas morta/vivas. Então quando chega um garoto novo na escola onde elas estudam que é claramente um vampiro, não é surpresa que Cathy fique caidinha por ele.

“Não, ele era tão ruim quanto eu pensava. Haveria espaço suficiente nessa sala para Francis Duvarney e seu ego? Era tarde demais para trocar de aula?
Os olhos de Cathy estavam mais arregalados e radiantes do que nunca.
Nada de trocar de aula.
Eu teria que vigiar Cathy. Fiquei imaginando se a mãe dela acharia ruim se eu me mudasse para lá.”

Francis é o típico vampiro arrogante, antiquado, misterioso e irresistivelmente lindo. Que acaba se encantando pela doce Cathy, para o completo desespero de Mel, que vai fazer de tudo para separar esses dois. 

Em paralelo, Cathy e Mel tem uma amiga em comum, Anna, que está passando por um momento muito difícil. O seu pai desapareceu misteriosamente, e até então o que se sabe é que ele fugiu com uma vampira, e para completar, desde o ocorrido a mãe dela tem agido de forma muito estranha. Por isso, Anna pede ajuda a Mel para tentar descobrir o que está acontecendo com a sua mãe.

Sendo assim, Mel tem duas missões, a primeira é separar Cathy de Francis, e evitar que ela acabe fazendo uma besteira. E a segunda, ajudar Anna a entender o que está acontecendo com a sua mãe, e descobrir se existe mais alguma coisa nesse sumiço inesperado do pai dela. E no meio do percurso ela vai contar com a ajuda de Kit, um humano que foi criado por vampiros, e mora no mesmo Shade (comunidade/clã) de Francis, e que mesmo pensando coisas completamente diferentes sobre vampiros que Mel, decide ajudá-la.

Time Humanos é narrado em primeira pessoa por Mel, e eu diria que a história é escrita de uma maneira um tanto caricaturada, já que o romance de Cathy e Francis é demasiadamente meloso, e a aversão de Mel pelos vampiros, é extremamente exagerada. Então o preconceito de Mel com relação aos vampiros, é algo que pode incomodar um pouco durante a leitura se você for Time Vampiros, mas se você for Time Humanos, irá se identificar com ela. Kit é com certeza o melhor personagem de toda a história, ele tem um carisma que conquista o leitor, e que faz a gente ficar torcendo para ele aparecer cada vez mais durante a leitura. O livro é uma delicinha de ler, tem senso de humor, é um tanto sarcástico, tem romance e um toque de mistério. Por ser um infanto-juvenil, não é um livro muito denso, mas cumpre o seu papel de entreter o leitor.

E você, é Time Humanos ou Time Vampiros? Eu com certeza sou Time Kit, seja lá qual for o time que ele queira ficar. 


TIME HUMANOS foi cedido em parceria com a GALERA RECORD

Sobre as autoras:



Justine Larbalestier nasceu e foi criada e Sidney, na Austrália. Como seus pais são antropólogos, sua infância foi pontuada por viagens a partes remotas da Austrália, como pequenos povoados aborígenes no norte do país.






Sarah Rees Brennan nasceu e cresceu na Irlanda, onde seus professores valentemente tentaram torna-la fluente no irlandês (ela quer que você saiba que não é chamado de gaélico), mas ela escolheu ler livros em sua mesa na sala de aula. Os livros mais freqüentemente encontrados sob sua mesa eram Jane Austen, Margaret Mahy, Anthony Trollope, Robin McKinley e Diana Wynne Jones, e ela ainda os ama todos hoje.
Após a faculdade, ela viveu brevemente em Nova York. Porém, retornou à Irlanda para escrever e usar como base para futuras aventuras.

10 comentários:

  1. Oi, tudo bem?
    Primeiramente a gente grita "que hino de layout, que hino de blog" depois lemos a postagem, HAUAUAHAHAUU. Eu li esse livro recentemente e pra te dizer, eu gostei bastante da protagonista, mas a amiga dela é muito tapada, sério! O Francis me lembra muito o Edward Cullen, cê não tem ideia! E eu morri de rir na maior parte do livro! As autoras lacraram, se juntas já causam imagine juntas.

    Allons-y,
    JUSTIFICOU ♡

    ResponderExcluir
  2. Não me apaixonei pelo Edward porque não dei a oportunidade de ler os livros rsrs, mas sei bem a sua aversão a temática.
    Não é o tipo de livro que eu compraria para ler, mas com certeza se tivesse a oportunidade eu leria e quem sabe assim me apaixonaria pelo Time.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Eu não peguei essa fase em que os livros eram praticamente todos com a temática vampiro, então eu até gosto desse tipo de estória, haha. Esse livro parece ser bem interessante, fiquei curiosa para ler e amei a capa!

    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Oii! Eu confesso que adoro histórias sobre esses seres sobrenaturais sanguessugas desde criança haha, então com certeza fiquei bastante curiosa em relação a essa história. No começo eu jurava que o Francis iria se apaixonar pela Mel, mas ele gostou foi da Cathy haha, adorei! Parece ser uma história bem envolvente e divertida, vou anotar a sua dica. Bjss!

    ResponderExcluir
  5. Estou um pouco cansada de vampiros, mas por tudo que você falou, acho que daria uma chance.
    Beijos
    Mari

    ResponderExcluir
  6. Bom, eu não conhecia o livro e achei a premissa dele bem bacana. Gostei da sua resenha e de ver os seus comentários sobre a obra. Fiquei curiosa com a leitura.

    ResponderExcluir
  7. DEZ ANOS DE CREPÚSCULO, MEU DEUS!!!! Eu não era fã da saga e nem apaixonei pelo Edward Cullen, apesar de amar histórias de vampiros. Essa coisa de vampiros que brilham ao sol nunca me conquistou. Mas eu gosto da mitologia e achei bem bacana a premissa desse livro. Pode ser bom. Vou deixar na minha lista. Se surgir a oportunidade, o lerei.

    ;*

    ResponderExcluir
  8. Há dez anos, saia da adolescência, ainda era jovem, mas não era adolescente, lembro da febre doentia de Crepúsculo, em meu tempo de adolescência, também tive minhas febres doentias. Time humanos não conhecia, gosto de vampiros, não curto texto comercializados sobre vampiros, mas como não li o livro e a história chamou minha atenção, certamente entra em minha lista de leitura

    ResponderExcluir
  9. Oiii!

    Eu não conhecia esse livro, não sou de ler obras com vampiros porque não faz muito meu estilo, mas gosto de ler resenhas sobre as obras. Gostei das suas considerações.

    Beijnhos,

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Eu acho essa capa muito linda. Mas ao contrário da maioria acho Crepúsculo mega enjoado. Talvez seja a falta de empatia com o ator que representou o Edward. Mas o gênero pra leitura me agrada bastante, e sua resenha me deixou com vontade de realizar essa leitura.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir