(Resenha) Mentiras como o Amor - Louisa Reid

Livro no Skoob: Mentiras Como o Amor
Título Original: Lies Like Love
Autora:  Louisa Reid
Editora: Novo Conceito
Páginas: 473
Ano: 2017

Nem sempre aqueles que mais nos amam são os que nos fazem bem. Audrey sabe que sua mãe está certa quando tenta salvá-la de si mesma. Ela sabe que tem sido injusta, por isso precisa, por seu irmão mais novo e por sua mãe, seguir em frente. Audrey tenta manter todos felizes. Juntos, eles estão em busca de dias melhores. A mãe de Audrey, à sua maneira, tenta ajudar a filha a controlar a doença para que ela possa encontrar um recomeço seguro. Então Audrey conhece Leo, mas ele torna a vida dela realmente complicada, pois essa amizade faz com que ela deseje ousar ser ela mesma, enfrentar a vida. Agora, Audrey precisará decidir: cuidar de sua família especialmente de seu irmão ou continuar sonhando com a vida que tanto deseja? Mentiras Como o Amor é deslumbrante e de partir o coração. É o novo romance de Louisa Reid, a autora aclamada de Corações Feridos.

Quando resolvi ler esse livro, imaginei que seria uma leitura rápida que envolveria um romance, e mesmo sabendo que Audrey estava doente, nada me preparou para a história que o livro nos apresenta! Então essa vai ser uma resenha um pouco longa, vamos lá?

O livro é narrado por dois pontos de vista, da Audrey e do Leo, a leitura começou bem arrastada e fiquei um pouco confusa sobre o que seria o objetivo do livro, pois a história não fazia muito sentido até que algo me chamou a atenção, Audrey estava doente, uma depressão profunda, vivia com medo de algo, ao qual ela chamava: A Coisa. Pois é, isto a fazia se cortar, e tentar dar fim a própria vida, porém quanto mais eu tentava entender, mais eu ficava perdida na mente de Audrey, ela se mostrava uma garota que lutava para manter-se fora das águas turvas que era a sua vida, amava seu irmãozinho e queria estar com ele em todos os momentos. E a sua mãe... bem, Audrey sabia que a amava, mesmo com seu jeito de sempre a controlar, ela sabia que sua mãe queria o melhor para ela. 

Depois de se mudarem para uma nova casa, Audrey e sua família só querem viver em paz, longe de todos os problemas do passado, lutar contra sua doença, tentar ser uma garota normal, e fazer amigos. Então ela conhece Leo, um garoto que mora numa fazenda vizinha, e mesmo desconfiada ela acaba querendo ter um amigo, alguém que a entenda, alguém que não a veja como louca, ou como sua mãe mesmo a chama, uma vítima.

"[..] A felicidade é ser amada por quem você é sem nenhuma reserva ou hesitação, sem retroceder ou se importar com o que qualquer pessoa venha a pensar. Era confiança; era fé; era saber que o amor que você dá fica seguro no coração de outra pessoa."

Logo percebemos que a amizade entre os dois desperta em Audrey desejos que ela mal sabia que tinha, desejos por se libertar de sua doença, por querer ser livre, viver sem o peso da culpa, esperar mais do que apenas o que ela vivia, sempre presa a um estigma de garota depressiva, sozinha e sem amigos. Porém sua mãe logo começa a se preocupar com a sua amizade com o garoto, e aí as coisas se complicam, pois me peguei me questionando a superproteção da mãe dela, entendi que Audrey estava doente, porém será que a preocupação de sua mãe era apenas pela sua saúde? Vemos Audrey assumir uma carga pesada ao cuidar de seu irmãozinho e muitas vezes da própria mãe, e isso me deixou confusa, pois como alguém em seu estado mental pode ter tanta responsabilidade? A leitura vai ficando cada vez mais complicada e nos vemos presos em meio a uma rede de mistérios envolvendo Audrey e sua família.

Já com o Leo, vemos um envolvimento familiar muito mais saudável, ele vive com sua tia Sue, após alguns problemas com seus pais, e assistir a interação entre ele e Sue é muito tocante, pois ele se sente livre para viver sem a pressão das expectativas criadas por seus pais, livre para ser apenas um garoto descobrindo a vida. A autora explora muito bem as questões familiares, e vemos um contraste entre as duas famílias, claramente como luz e sombra e como elas interagem durante o decorrer da história. Vemos também o desenvolvimento dos personagens na escola, e como temas como o bullying, violência, e como as pessoas podem ser cruéis com aqueles que consideram diferentes.

O livro me deixou com uma sensação que eu não sabia identificar, não era exatamente triste, mas uma mistura de diversas emoções, raiva, angustia, revolta, eu não entendia como alguém poderia passar por tudo isso e não enlouquecer, houve momentos que eu queria mergulhar nas páginas e apenas abraçar a personagem, pois entendia como era difícil lidar com tudo isso. Como podemos identificar aquilo que nos faz mal quando ele vem daqueles que mais amamos? Que supostamente é para estar lá para qualquer coisa, nos proteger de tudo e todos? A revelação da Coisa que assombrava Audrey, que a fazia se machucar, os motivos disso, me deixaram muito abalada, mas acho que foi pela crueza de como foi real, de como senti na própria pele apenas um pouco do que ela teve que aguentar.

Mentiras como o Amor, é um livro acima de tudo real, tocante, profundo, que nos conta uma história que poderia ser a minha, ou até mesmo a sua que me ler nesse exato momento, escrito com uma sutileza que nos deixa de coração partido, porém achei alguns pontos negativos que me incomodaram um pouco. O relacionamento amoroso entre a Audrey e o Leo foi bem construído, mas achei que faltou algo, pois mesmo sabendo que ela estava doente ele não tentou ir mais afundo para descobrir como ajudá-la, isso me irritava às vezes, e ao decorrer da história eu não sabia bem como a Lorraine, mãe da Audrey se encaixava, e o seu comportamento me deixava assustada, até que comecei a ter uma ideia de como isso ia terminar e acabou me frustando um pouco no final. Fora isso a leitura fluiu bem rápido, não é uma leitura que recomendo para todo mundo, pois pode conter alguns gatilhos para quem enfrenta problemas familiares e depressão.

MENTIRAS COMO O AMOR foi cedido em parceria com o GRUPO EDITORIAL NOVO CONCEITO.



Sobre a autora:




Louisa Reid formou-se em Inglês pela Hertford College, em Oxford. Além de escritora, é também professora em Cambridge Casada, e com duas filhas, ainda assim costuma acordar e dormir pensando em livros.

16 comentários:

  1. Oie
    Gostei muito do enredo deste livro e cada resenha que eu leio fico mais curiosa.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ooi!
    Conheço o livro apenas pela capa, pelo Facebook da editora. Aliás, a capa esta linda.
    Não sabia que nada sobre a história, mas gostei bastante da premissa do livro é fiquei curiosa para conhecer os personagens e já ansiosa para saber qual será o desfecho da história.
    Beijoos!

    ResponderExcluir
  3. Aih, esse livro tá nos meus desejados. Estou louca pra ler, apesar das suas ressalvas.
    Parece ser emocionante.

    Beijos
    Literatura Estrangeira

    ResponderExcluir
  4. Menina que resenha! Eu só tinha visto a capa que me fez pensar ser um romance clichê mas já vi que fui enganada também! Adoro livros que abordam temas pesados e reais! Já quero muito e certeza que lerei! Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho curiosidade com esse livro mas tenho o pé atrás, tinha essa mesma sensação de que falta algo. Eu gostei da sua resenha super sincera e espero que se eu for ler o livro algum dia, que eu possa gostar da leitura.

    ResponderExcluir
  6. Oii
    Ainda não conhecia o livro, apesar de que acho que vi a capa em algum lugar.. Já de primeira achei, vixi, não é meu tipo de livro mocinha depressiva encontra o amor e tal... Mas lendo sua resenha realmente me peguei querendo saber mais sobre a história e agora quero fazer a leitura, já percebi que minha primeira impressão está bem longe da verdade.

    Vícios e Literatura

    ResponderExcluir
  7. Gostei da resenha Janiele. O mote do livro é bem interessante, mas é uma pena que tenha faltado um pouco de química no casal principal. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  8. Oi! Essa autora tem uma pegada dramática em sua escrita e constrói histórias bem tensas. Realmente ler seu livro, tem que está com a mente aberta e tranquila. Adorei a resenha! Bjos ❤

    Click Literário

    ResponderExcluir
  9. Oi, Janiele!
    Com essa capa fofa ninguém imagina que a história é pesada assim...
    Por enquanto eu estou passando longe de dramas, mas anotei a dica.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do Sorteio de Férias: cinco livros, um ganhador!

    ResponderExcluir
  10. Oi, Janiele!
    Nossa conhecia esse livro só pela capa e pensava que era um romance leve. Estava enganada! Não sabia do que se tratava a história mas gostei da premissa, parece o tipo de livro que eu gosto de ler. Sua resenha ficou ótima!
    Beijos <3
    Páginas Empoeiradas

    ResponderExcluir
  11. Oi Janiele,
    Sua resenha nem foi longa... li super rápido de tão boa que foi! Parabéns!
    O livro tata de temas importantes, mas atualmente tenho fugido de temáticas complicadas e com carga emocional forte. Realmente é muito difícil perceber quando algo que uma pessoa faz nos faz mal, quando percebemos já estamos terrivelmente afetados por aquilo.
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem?
    Eu amo essas histórias que trazem esse misto de emoções, ainda não conhecia o livro mas já me interessei por ele!
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Olá, Janiele.
    Esse foi o livro que mais mexeu comigo nesse ano. Eu queria jogar o livro na parede quando descobri o que realmente era a coisa. Eu fiquei desesperada quando terminei ele porque precisava conversar com alguém. Eu nunca que ia imaginar que "a coisa" fosse ser capaz de fazer aquilo, ainda mais vindo de alguém que é para te proteger.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  14. Eu tenho interesse neste livro justamente pelo contexto da depressão, mas alguns pontos que você levantou me deixaram com o pé meio atrás. Eu sou mãe e entendo a preocupação da mãe dela, mas está superproteção de um lado, é a carga excessivas de responsabilidade por outro me confundi um pouco. Enfim, só lendo para saber.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  15. Vixi! Confesso que eu achei que iria chorar com a obra e agora fico em dúvida...
    Gosto de ter narrações com pontos de vista diferentes, mas a falta de interesse do Leo em se aprofundar para ajudar a Audrey me desanima.
    Para ser sincera, não sei se vou ler...
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. OI! O outro livro que li desta autora me abalou e acho que esse vai ser a mesma coisa. Ansiosa para ler.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir