(Resenha) Véu do Tempo - Claire R. McDougall

Livro no Skoob: Véu do Tempo
Título Original: Veil of Time
Autora: Claire R. McDougall
Editora: Jangada
Páginas: 368
Ano: 2017

A medicação para a epilepsia mantém Maggie num estado permanente de torpor, mas não consegue aliviar sua dor por ter perdido a filha em decorrência da mesma doença. Com o fim do seu casamento e o filho mais velho num colégio interno, Maggie se muda para uma casa de campo nas ruínas de Dunadd, o local histórico que um dia foi a sede da realeza da Escócia. Tudo muda em sua vida após uma convulsão, e Maggie desperta num vilarejo dentro dos muros de Dunadd do século VIII. Mesmo sem saber se isso realidade ou apenas uma alucinação causada pela doença, ela é atraída pela presença de Fergus, irmão do rei e pai de Illa, uma menina que tem uma semelhança impressionante com a sua falecida filha. Mas, com as demandas do presente chamando-a de volta, conseguirá Maggie deixar para trás o príncipe escocês que já a chama de meu amor?

Quando recebi esse livro da Editora Jangada, logo me chamou a atenção uma citação que dizia que se você gostou de A Viajante do Tempo, também iria gostar desta leitura, e mesmo com um pezinho atrás, comecei minha leitura e logo me vi imersa na história de Maggie e suas viagens de sonho.

Após a morte de sua filha, que sofria da mesma doença que ela, Maggie não deixa de pensar que é sua culpa por passar seus genes defeituosos a sua filha, e com a dor de sua perda, o fim de seu casamento e com uma cirurgia que promete ser a cura para sua doença, ela se muda para o campo onde poderá se dedicar a sua tese enquanto espera a data de sua lobectomia.

Mas enquanto se isola de seus problemas, Maggie tem um segredo, ela sonha, mas não sonhos normais e sim como uma viajem para outro tempo, onde ela pode interagir com as pessoas que encontra, mas esses sonhos são sempre durante suas convulsões, o que a faz questionar a sua própria sanidade.

"Muito antes de meu distúrbio receber um nome, eu já tinha sonhos. Não sonhos passageiros, mas o tipo de sonho, em sono profundo, que se entrelaça no tecido da mente e não vai embora."  
                                       
Durante seus sonhos, Maggie acaba voltando no tempo e conhecendo Dunadd,  o mesmo lugar onde ela mora agora, só que muitos séculos antes, e mesmo sem saber falar a língua daquela época, ela chama bastante a atenção ao ser confundida com uma bruxa, ou melhor dizendo uma druideza. Nesse sonho ela conhece Fergus, um atraente príncipe que a faz imaginar como seria ficar ali para sempre. Nos sonhos Maggie se sente mais livre do que jamais fora em sua vida, e ver a possibilidade de construir ali uma vida ao lado de Fergus e da sua filha, ou seja, uma nova família onde ela poderá mais uma vez ser feliz.

O livro é repleto de fatos históricos, a autora conseguiu trazer uma riqueza imensa da cultura escocesa, e um fato do qual eu mais gostei foi a participação das mulheres naquela época, tidas como fonte de sabedoria, e conhecimento elas vão perdendo espaço com a chegada dos cristãos e suas atitudes condenadas pela igreja.

"A mulher, continuou o monge mais velho [...] foi a culpada pelo sofrimento que sobreveio ao mundo. Ela deu ouvidos a uma serpente e desafiou a Deus; ela tentou mais conhecimento do que deveria. - Como uma mulher pode ter conhecimento em demasia? [..] De que serve uma mulher sem conhecimento? "

A posição da Maggie em relação ao movimento feminista também foi algo que me deixou confusa, pois ao mesmo tempo em que sua tese é voltada para a Inquisição, a queima das mulheres na fogueira, ela não se considera uma feminista, pois alega não odiar os homens, acho que a autora expôs uma ideia muito generalizada do que é ser feminista, porém o próprio livro traz personagens femininas que são fortes e respeitadas pelo seu povo, principalmente quando cita os pictos, um povo de mulheres guerreiras.

O livro fluiu muito rápido, achei que a narrativa seria mais arrastada, mas de repente me vi terminando a leitura, mas o final não foi o que eu esperava, estava numa expectativa para um final mais emocionante, contudo não deixou de ser uma boa leitura, principalmente por gostar muito da cultura escocesa e nórdica. E vocês leitores, se pudessem voltar no tempo, para onde gostariam de ir?

"Eu suspiro. Ele tem razão. Parece que desperdiçamos a maior parte da vida tentando não morrer. Mas, no fim, a morte acontece de um jeito ou de outro. O tempo é uma medida tão inútil para quantificar qualquer coisa... O máximo que você pode dizer é que nascemos e que morremos. O que vem no meio é uma pequena pausa. Na grande expansão do universo, a pausa nada mais é do que algumas respirações. Tentamos fazer com que isso signifique alguma coisa, acrescentando-lhe anos, mas os anos não a tornam maior. Estamos aqui, partimos. Outra coisa qualquer toma o nosso lugar."

VÉU DO TEMPO foi cedido em parceria com o GRUPO EDITORIAL PENSAMENTO



Sobre a autora:


Claire R. McDougall natural da Escócia, formou-se na Universidade de Oxford e mora agora em Aspen, no Colorado, com a família. Depois de começar cedo como colunista de jornal, sua carreira em criação literária aventurou-se pela poesia e pelos contos até se estabelece nos romances sobre o seu país de origem.

20 comentários:

  1. Oie
    A premissa deste livro me parece muito boa, estou curiosa para ler.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi! Ei gostaria de voltar na minha própria vida e aproveitar melhor alguns momentos que acho que deixei passar sem muita atenção. Gostei da trama do livro. Dica anotada.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  3. Oie,

    A premissa do livro é interessante, mas tenho alguns (vários) na lista para ler primeiramente.
    Vou deixar anotado como dica!
    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Ai, que demais esse livro! Eu amo estórias com viagens no tempo, então já sei que vou amar essa obra, hehe.

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Eu adoro a Escócia, sou bem fascinada por essa cultura. Então já é um ponto positivo, né?
    Infelizmente, esse final me deixou meio 'com o pé atrás'. Acho que vou deixar a obra para ler mais no futuro.
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Jani! Eu adoro história com viagem no tempo e até me interessei pelo enredo, só não curti isso de dizer que não é feminista porque não odeio os homens, uma ideia completamente errada sobre o feminismo... daí já bateu a dúvida se leio ou não.


    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  7. Oii tudo bem? *-*
    Nunca li nenhum livro que envolvesse viagem no tempo e cultura Escocesa mas achei esse com uma premissa bem legal, irei anotar a dica.

    Parabéns pela resenha

    Beijos
    www.leitorunicornio.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    EU não conhecia a autora nem a obra, mas me parece uma leitura interessante. Viajar no tempo, quem não gostaria? Seja para mudar ou reviver algo. Gosto de leituras fantasiosas assim e acredito que vou curtir essa leitura, não li Outlander ainda, mais um para a minha lista.
    Amei a resenha
    beijos

    ResponderExcluir
  9. Não tinha visto o livro ainda, mas com o cenário da Escócia no enredo, já fiquei interessada. É só uma pena que não tenha sido tudo o que você esperava.
    Bjs, rose.

    ResponderExcluir
  10. Gostei muito do cenário em que se passa essa história e fiquei curiosa quanto à viagem no tempo!
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
  11. Quando eu vi a capa desse livro a primeira vez eu fiquei curiosa com ele, agora que li a sua resenha eu achei a premissa diferente mas não me atraí para a leitura. Mas acho que pode ser um bom passa-tempo

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem?
    Também, assim como Maggie, sofro de epilepsia e isso é muito ruim. Em fim, eu me interessei por conta da viagem que a personagem faz, indo parar em Dunadd do século VIII.

    ResponderExcluir
  13. Oie amores,

    Não conhecia o livro até o momento, mas estou curiosa pela leitura.
    Que sonhos intensos... curiosa pra viver esses sonhos com Maggie... dica anotada por aqui!


    Beijoka!

    ResponderExcluir
  14. Oie, ótima resenha que me deixou com mais vontade de ler o livro. Gosto de obras que falem de certa maneira de inquisição, e adoro o cenário escosses, então tenho certeza que será interessante para mim, e apesar de não gostar muito de viagens no tempo, creio que esse toque de fatos históricos me agradará.

    ResponderExcluir
  15. O que mais me atraiu na história foi o fato de saber mais sobre a Escócia durante a narrativa. A história em si, não me acrescenta algo novo, mas a ambientação com certeza me chamou a atenção e por esse motivo, leria.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  16. Que pena que a autora se perde em relação ao movimento feminista. Só por isso não fiquei com vontade de ler o livro. Apesar de ele trazer temas e cultura interessantes. AA Escócia sempre encanta com seus belos cenários.

    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Olá. Eu não conhecia o livro e nem A Viajante do Tempo, e quando chegou nesta parte “A posição da Maggie em relação ao movimento feminista também foi algo que me deixou confusa, pois ao mesmo tempo em que sua tese é voltada para a Inquisição, a queima das mulheres na fogueira, ela não se considera uma feminista, pois alega não odiar os homens” bom, não dá para mim, a pessoa que escreveu, no mínimo está num vale profundo de ignorância. Uma pena, pois tinha tudo para ser bom. Alguém dá umas dicas de livros sobre o que é feminismo para este ser humano. Gostei de sua crítica.

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bem? De fato é o que me faz ter mais pé atrás com o livro, o fato de ser tão parecido com Outlander. Sou mega fã da mesma, e ler mais do mesmo para mim seria uma coisa ruim. Mas vi alguns pontos diferentes, que gostei, principalmente da parte da maior parte feminina. Mas isso ainda me remete bastante a série da Diana Gabaldon. Estou pensando ainda o que decidir. Mas isso não invalida sua ótima resenha!
    Beijos,
    https://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Olaaa
    Obras assim me deixam com o pé atrás por conta que se o autor não souber manejar bem essas passagens do tempo isso acaba confundindo muito, mas gostei da obra e da resenha e vou dar uma chance, fiquei bem curiosa

    ResponderExcluir
  20. Oi, tudo bem?
    Também achei meio estranha a proposta deste livro, principalmente a protagonista, eu tinha lido os primeiros capítulos e não foi lá essas coisas não, infelizmente nem a capa me agradou, mas vou ver se indico para alguém que pelo menos goste da cultura! Adorei sua resenha, ficou bem construída! <3

    Beijos!

    ResponderExcluir