A Herdeira, de Kiera Cass

           SKOOB: A Herdeira
           ORIGINAL: The Hair 
           SÉRIE: A Seleção - Livro 4
           AUTORA: Kiera Cass
           EDITORA: Seguinte
           PÁGINAS: 392
           ANO: 2015






No quarto volume da série que já vendeu mais de 500 mil exemplares no Brasil, descubra o que vem depois do “felizes para sempre”. Vinte anos atrás, America Singer participou da Seleção e conquistou o coração do príncipe Maxon. Agora chegou a vez da princesa Eadlyn, filha do casal. Prestes a conhecer os trinta e cinco pretendentes que irão disputar sua mão numa nova Seleção, ela não tem esperanças de viver um conto de fadas como o de seus pais… Mas assim que a competição começa, ela percebe que encontrar seu príncipe encantado talvez não seja tão impossível quanto parecia.

Quando você pensa que a série seria só a trilogia a autora Kieira trás mais um livro no universo de A Seleção. O livro não segue muito o estilo dos anteriores, primeiro por um motivo, Eadlyn não tem nada a ver com a mãe, ela é extremamente mimada e muitas vezes até egoísta, o problema é que ela não percebe isso e pensa que por que será a rainha todos devem amá-la. 

A trama começa nos apresentando a princesa herdeira, e a partir daí começamos a conhecer um pouco dela, e eu particularmente não gostei muito dela não. Aos 18 anos Eadlyn é a pessoa mais poderosa de todo o reino (palavras dela não minhas), e esta alheia as intrigas que ainda ocorrem no reino, alguns rebeldes ainda estão tentando acabar com a monarquia mesmo depois da extinção das Castas. 

Maxon e América propõem a filha que ela inicie uma seleção, para assim tirar o foco dos rebeldes e no processo tentar encontrar um marido já que a mesma em breve se tornará a rainha e precisará de um parceiro para ajudá-la. Porém essa idéia não agrada em nada a princesa que não aceita que alguém interfira em seus planos de reinar sozinha. 

O livro demora um pouco a pegar no tranco por assim dizer, Eadlyn passa muito tempo tentando sabotar a seleção, até que percebe que não poderá fazer muita coisa, daí ela faz um acordo com o Rei de que iria levar a seleção adiante durante três meses e se nesse período não encontrasse alguém adequado ela iria encerrar tudo e continuaria sendo ela mesma, bem do jeito que ela queria. 

É difícil associar a imagem da princesa, pois quem não se apaixonou pela América com seu jeito espontâneo e engraçado? Pois Eadlyn não tem nada a ver com a mãe, muitas vezes ela acaba ofendendo as pessoas ao seu redor e nem se dá conta, pois para ela, não existe ninguém mais importante e todos deveriam estar ciente disso. 

Mas o que ela não esperava era acabar se envolvendo de verdade com alguns dos selecionados, apesar de realmente odiar alguns deles, tenho os meus favoritos! 

Me inclinei um pouco na direção dele, ainda o abraçando.
 Ele ergueu a mão que estava livre até a minha bochecha. Então levou os lábios aos meus outra vez pelo que pareceu uma eternidade, antes de recuar.
E, mesmo quando recuou, seu nariz continuou tocando o meu, tão próximo que eu podia sentir os resquícios de vinho em sua respiração.
— Acha que isso basta?
— Eu… hum… não sei.
— Só para garantir.
Ele pressionou a boca contra a minha de novo. Fiquei tão surpresa por receber outro beijo como aquele que pensei que meus ossos fossem derreter. Envolvi os dedos no cabelo dele, chocada comigo mesma por sentir o desejo de segurá-lo daquele jeito a noite inteira.
Ele recuou de novo e olhou nos meus olhos. Algo estava diferente. Será que ele também estava sentindo aquele calor estranho se alastrar pelo corpo?
— Obrigada — cochichei.
— Quando quiser. Quer dizer… — ele balançou a cabeça e riu de si mesmo. — Você sabe o que quero dizer. 


Porém mesmo “desfrutando” de alguns momentos mais íntimos com alguns dos candidatos ela ainda se nega a tentar de verdade conhecê-los ou deixá-los conhecê-la. 

— Eu não quero que ele me conheça! Não quero que nenhum deles me conheça!
O rosto do meu irmão se fechou numa careta de confusão.
— Sempre pensei que você era a única pessoa no mundo que eu sempre entenderia, não importava o que acontecesse. Pensei que sempre me entenderia também. Mas caçoa de mim por eu estar apaixonado e, quando a oportunidade de encontrar alguém cai no seu colo, você detesta tudo. 

Muitas vezes me surpreendi com o comportamento dela até mesmo com sua própria família, como se o fato dela se tornar a rainha um dia irá torná-la superior a todos eles. 

— Não fale assim comigo, Eadlyn. Tenho catorze anos, não quatro. Leio todos os jornais e presto atenção nas edições do Jornal Oficial. Falo mais línguas que você e aprendo tudo o que você precisa saber sem ser obrigado. Não aja como se fosse melhor que eu. Eu sou um príncipe. Suspirei de novo.
— Sim, mas eu serei a rainha — corrigi enquanto dava um gole no café. Eu realmente não precisava daquilo tão cedo.
— E seu nome algum dia aparecerá em um livro de história. Um moleque de dez anos entediado vai decorá-lo para a prova e depois esquecer tudo a seu respeito. Você tem um emprego, como qualquer outra pessoa. Pare de agir como se ser rainha fizesse de você alguém melhor ou pior que os outros.
 

Porém ao decorrer do livro vemos que o muro que ela cria ao seu redor começa a ter pequenas fissuras, pois o que há de errado em gostar de alguém? Em ter sempre uma pessoa ao seu lado para dividir seus pensamentos e sentimentos? Para Eadlyn isso a tornava fraca... 

A Seleção estava me tornando uma mula!
Por isso o amor era uma ideia terrível: ele enfraquecia as pessoas.
E não havia nenhuma pessoa no mundo tão poderosa quanto eu. 

A autora conseguiu mostrar que apesar de seus defeitos a personagem evolui sim, e que aprendemos junto com elas que nem sempre estamos certos, e que nossas prioridades são nada comparados a daquelas a quem amamos e precisam de nós, por isso tenho certeza que nos próximos livros veremos uma Eadlyn mais madura. 

Se um mês antes alguém tivesse me dito que eu deveria considerar aquilo como uma opção para mim, eu teria revirado os olhos e dado as costas. Naquele momento? Bom, a possibilidade não me parecia tão absurda. Eu não esperava encontrar o que meus pais tinham ou mesmo o que Ahren havia encontrado em Camille. Mas… talvez pudesse encontrar alguma coisa. Talvez houvesse uma pessoa que me beijasse mesmo quando eu estivesse com o nariz escorrendo, que esfregasse meus ombros após um longo dia de reuniões. Talvez pudesse encontrar alguém que não parecesse tão assustador, com quem um passeio além das muralhas do palácio parecesse natural. Mas tudo isso poderia ser pedir demais. 

Para terminar deixo um trecho que gostei bastante: 

“Sempre pensara que não poderia viver uma vida para os outros, que o amor não passava de uma algema. Talvez fosse mesmo, mas a verdade é que eu precisava dessa algema....
... Essas coisas não me enfraqueciam; me mantinham no momento presente.
Eu já não fugiria delas.” 


SOBRE A AUTORA:




Quando terminou o ensino médio, sua ambição era o teatro, e foi para Coastal Carolina University, se formando em Teatro Musical. Depois foi para Radford University e mudou para Música. Então Comunicação. Em seguida, História. Acabou estabelecendo-se em História, mas mudou-se para Blacksburg, casou teve filhos. Depois disso, tornou-se dona de casa para ficar em casa com os filhos.
Em 2007, abalada por uma tragédia local, tentou um monte de coisas para se recompor, resultando em se sentar para escrever uma história onde o seu personagem teve que lidar com seus problemas. Escrever lhe ajudou a lidar com todas as coisas que estava sentindo. Acabou por não terminar essa história, porque começou a escrever The Siren. Depois de adquirido o hábito de escrever, teve muitas idéias, incluindo The Selection e um punhado de outras que estão esperando sua vez.
Atualmente vive em Blacksburg, VA, com seu marido e filhos.


8 comentários:

  1. Exatamente! Pensei a mesma coisa da Eadlyn que você e também não gostei dela não, por mim tinha parado em A Escolha mesmo que estava tudo certo! A minha parte favorita é a fala do Kaden que você também separou: "Você tem um emprego, como qualquer outra pessoa. Pare de agir como se ser rainha fizesse de você alguém melhor ou pior que os outros." parei até de ler pra bater palmas pra ele nessa parte kkkkkk

    Beijo,
    http://portaoazul.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Mariana eu não estou sozinha rsrsr, vi muita gente que gostou, é claro que amo os livros da tia Kieira, mas também achei o livro desnecessário, podia ter encerrado com a América mesmo q tava td bem!

      Excluir
  2. Oi, Janiele! Tudo bem?
    Terminei de ler "A Escolha" recentemente e, apesar de ter gostado da escolha em si, fiquei decepcionado com o livro e aí fiquei com medo do que esperar de "A Herdeira". Li muitas resenhas que concordam com a sua, Eadlyn parece ser uma personagem muito mimada, não sei se ela irá me cativar tanto quanto a sua mãe, mas espero estar enganada. Ao menos a capa faz jus a série *-* Bjs
    Jéssica - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jessica, então muita gente gostou, outras detestaram o livro, vi que a Kieira falou que só irá escrever mais um livro, acho que até ela já percebeu que o mundo de a Seleção já deu o que tinha de dar..

      XoXo

      Excluir
  3. Oie Jani
    acho que a Kiera não quer abandonar o mundo de A seleção nem tão cedo rs
    nem sei o que pensar desse livro. Já li diversas opiniões que A herdeira não cativa como os anteriores, especialmente pela filha de America. Não sei o que esperar. Sinceramente. Será minha próxima leitura. Espero gostar.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jackie, acho que ela ta começando a perceber sim, ela falou que não vai escrever mais livro além do 5º então, podemos ter esperança de que ela comece outras séries neh?

      Boa leitura!

      Excluir
  4. Parabéns pela resenha Janiele! Já li A Seleção, A Elite, Contos da Seleção e A Escolha e curti bastante. Estou ansiosa para ler A Herdeira e espero não me decepcionar. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vanessa, ainda não li os contos to doidinha para ler e matar a saudade dos personagens, espero que você aproveite a leitura!

      Beijos

      Excluir