Liberta-me, de Tahereh Mafi


           SKOOB: Liberta-me
           ORIGINAL: Unravel me
           AUTORA: Tahereh Mafi
           EDITORA: Novo Conceito
           PÁGINAS: 444
           ANO: 2014



Liberta-me é o segundo livro da trilogia de Tahereh Mafi. Se no primeiro, Estilhaça-me, importava garantir a sobrevivência e fugir das atrocidades do Restabelecimento, em Liberta-me é possível sentir toda a sensibilidade e tristeza que emanam do coração da heroína, Juliette.
Abandonada à própria sorte, impossibilitada de tocar qualquer ser humano, Juliette vai procurar entender os movimentos de seu coração, a maneira como seus sentimentos se confundem e até onde ela pode realmente ir para ter o controle de sua própria vida. Uma metáfora para a vida de jovens de todas as idades que também enfrentam uma espécie de distopia moderna, em que dúvidas e medos caminham lado a lado com a esperança, o desejo e o amor.
A bela escrita de Tahereh Mafi está de volta ainda mais vigorosa e extasiante.



Depois de ler Estilhaça-me não fiquei muito animada para ler a seqüência, assim que comecei a leitura do livro me peguei pensando se seria mais uma viagem pela cabeça louca da Juliette e seus dramas particulares.

O livro começa com Juliette tentando se adaptar a nova vida no Ponto Ômega, após descobrir que não é a única pessoa com poderes, porém mesmo em meio aqueles que entendem seus problemas ela não parece se encaixar, parte disso se deve ao seu modo de pensar que é uma arma ambulante que irá matar todos que a toquem.

Até aí é de se entender que todos deveriam sim estar assustados com alguém que pode matá-los apenas com um toque, porém Juliette acaba se isolando cada vez mais e se excluindo da comunidade criada para treinar as pessoas como ela a lidarem com seus dons. As coisas começam a piorar quando Juliette descobre que Adam não é tão imune ao seu toque como todos pensavam, e depois disso as coisas vão de mal a pior no seu relacionamento.

Confesso que não gostei muito do Adam já no primeiro livro, nesse então nem se fala, porém foi inesperada a forma como a autora foi distanciando o casal e alguns leitores demonstraram ter ficado decepcionado com isso.

Logo de cara não acontece nada muito empolgante, Juliette vai se isolando mais e mais, se sentindo culpada por todo o mal que acontece ao seu redor. Mas tudo muda quando aparece o Warner! Sim minha gente o vilão muito, muito malvado aparece para roubar a cena (e corações também!).

Desde que li Estilhaça-me fiquei com muita curiosidade sobre o personagem e seu lado malvado. Acho que estou na minha fase bad boys literária... A autora nos mostra o lado de Warner que não conhecemos, e não, ele não fica bonzinho, porém é quase impossível não se apaixonar por ele!

Levanto os olhos.— Mas sei que não o odeio mais. Eu tentei — eu conto —, tentei bastante. Porque você fez tantas coisas terríveis. A pessoas inocentes. A mim. Mas, agora, sei muito sobre você, vi  muita coisa. Você é humano demais.


Warner além de tudo é fã de tatuagens, porém ele escolheu marcar seu corpo com palavras e não desenhos.

Arranco os olhos da parte de baixo do corpo dele, tentando desesperadamente evitar que minha imaginação complete os detalhes. Olho para as palavras tatuadas em sua pele e presto atenção desta vez.— Ó — eu exclamo. — Sim. São duas linhas. A fonte como de máquina de escrever gravada bem na parte baixa do seu torso.

o i n f e r n o e s t á v a z i o . 

e t o d o s o s d e m ô n i o s e s t ã o a q u i .


Depois da metade do livro a leitura melhora bastante, Juliette vai ficando mais corajosa e se descobrindo aos poucos, tentando ajudar, e percebe que seus poderem podem ser usados para algo mais além de apenas matar ou destruir. Um dos personagens que também vamos amar muito é o Kenji, ele traz alegria as páginas e acaba se tornando o melhor amigo de Juliette.

Kenji é um paradoxo ambulante de Pessoa Inabalavelmente Séria e Garoto de 12 Anos Passando pela Puberdade em um só corpo.Mas eu tinha esquecido o quão mais fácil é respirar perto dele; parece natural rir quando ele está próximo. Assim, continuo andando e tomo cuidado para não dizer nada, mas um sorriso ainda está puxando meus lábios quando pego uma bandeja e sigo para o centro da cozinha.

E uma coisa muito importante que não posso deixar de lado é como a autora soube criar cenas muito eróticas, porém de uma forma que é... Não sei, fico até sem palavras...

Quero ser o amigo por quem você se apaixona perdidamente. O que você aceita nos seus braços e na sua cama e no mundo privado que mantém preso em sua cabeça. Quero ser esse tipo de amigo — ele afirma. — O que vai memorizar o que você fala e também o formato dos seus lábios quando você fala. Quero conhecer cada curva, cada sarda, cada pedaço do seu corpo, Juliette...— Quero sentir sua pele pegar fogo. Quero sentir seu coração acelerado junto ao meu e quero saber que está acelerado por minha causa, porque você me quer. Porque você nunca — ele fala, ele respira — nunca quer que eu pare. Quero cada segundo. Cada centímetro seu. Quero tudo.

Nem preciso dizer que amei o livro né? Não se trata apenas do romance, mas tem algo que me atrai muito intensamente na história, tem algo que me toca de uma maneira que me faz pensar sobre como muitas vezes pensamos apenas em nós mesmos, nos nossos problemas. E como temos a força para superar qualquer coisa que acreditemos ser possível, cada vez que leio descubro mais e mais coisas que me fazem amar mais a história. Muitas vezes deixamos nossos medos nos impedir de viver a vida e sermos completamente felizes, e é dessa forma que a Juliette vive com medo de si mesma, sem atitudes para mudar a situação em que se encontra. 

É tão difícil ser gentil com o mundo quando tudo o que você já sentiu é ódio. Porque é tão difícil ver a bondade no mundo quando tudo o que você já conheceu é medo.

Para encerrar vou deixar as quotes que mais gostei no livro:

É apenas o sussurro de um beijo, mas algo desmorona em minha cabeça. É o roçar leve como pena de sua boca contra minha pele em um lugar que não posso ver bem. Minha mente está falando em mil idiomas diferentes que não entendo.


— A verdade — ele começa — é um lembrete doloroso do motivo de eu preferir viver entre mentiras.

LIBERTA-ME foi cedido em parceria com o GRUPO EDITORIAL NOVO CONCEITO.  

SOBRE A AUTORA:







Ela tem 25 anos. Nasceu em uma cidadezinha de Connecticut e hoje mora em Orange County, California - onde bebe muita cafeína e acha o tempo muito perfeito para seu gosto. Quando não encontra um livro, ela pode ser vista lendo papéis de bala, cupons e receitas antigas. "Estilhaça-me" é seu livro de estreia e o primeiro de uma trilogia.








15 comentários:

  1. Eu tinha escrito um comentário gigante e a internet caiu. Não creio!
    Enfiiiiiiiim, vamos lá de novo:
    Eu AMO essa série. Sou Team Warner até morrer :D
    Eu tinha gostado do Adam no primeiro livro, mas não sei, alguma coisa muito forte me atraia no Warner, na loucura e complexidade dele. Ele me fascinou muito, mesmo sendo vilão e bad boy. Eu sabia que tinha alguma coisa diferente nele.
    E realmente a Tahereh Mafi sabe ser erótica sem nem falar sobre sexo. Incrível como um encostar de mãos pode ser a coisa mais sensual do mundo.
    Se você gostou de Liberta-me, vai gostar ainda mais de Incendeia-me. A Juliette tomou as rédeas da situação, o Warner está incrível e o Adam cada vez mais babaca, haha. Mas antes de ler, leia os contos, Destrua-me e Fragmenta-me.
    É daquelas séries para guardar no coração, haha.

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Oi Teca, já li todos os contos e Incendeia-me também, praticamente surtei!
      è muito amor envolvido e sim tem cenas muito sensuais sem nem passar perto da palavra sexo eu simplesmente amoo de paixão!

      Esta guardadinho no meu coração, leio e releio <3

      Excluir
  2. Conheço a série de ouvir falar, mas confesso que nunca me interessei muito por ela não... Maaas, nunca digo nunca a um livro, então quem sabe um dia, né?!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Suellen,

      O livro pode até ter algum pontos negativos, mas quem não tem?

      Na dúvida leia, eu gostei muito!

      Excluir
  3. Nunca ouvi falar na série. Estou conhecendo um pouco aqui e agora. Futuramente quem sabe não incorporo na minha lista de desejos!

    http://www.borboletra.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem???

    Menina do céu... eu sou suspeita em falar sobre essa trilogia porque amo demais... eu finalizei a série a poucos dias...e isso me deixou aos prantos porque eu queria pelo menos mais um livro rsrsrsrsrs... apesar de Juliette ser meio chatinha em algumas partes eu gosto dela porque ela vai crescendo nesse livro e coisas dentro dela vão se modificando... eu gostava muito do Adam no primeiro livro... porém não sei se a autora fez de propósito ou se tratava da personalidade dele que tenha se tornado um chato... eu entendo as suas razões, mas achei que ele e Juliette não tinha muito haver... Falando do Warner... nossa pensa em um vilão que adoro!!!! completamente apaixonada por ele... Uma coisa que achei interessante são as vivencias dessas pessoas tão jovens e tão sofredoras em um mundo totalmente atípico e cruel.... enfim gostei muito de sua resenha... e sei que escrevi um comentário enorme... mas não consigo falar pouco diante desse livro... Xero!!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diane,

      O fato de conhecermos mais a fundo o Adam acabou sendo bem chato, até por que só o vimos através dos olhos da Juliette, por isso resolvi ler Fragmenta-me, mas mesmo assim continuei não gostando.
      Acho que no momento em que ela se viu sem ninguém ele foi o que ela precisava no momento, mas quando ela foi se descobrindo e vendo que podia ser mais do que era.. é aquela coisa, por que se contentar quando podemos ter o melhor... e Warner é bem melhor rsrsr

      Excluir
  5. Parabéns pela resenha Janiele! Estou ansiosa para ler Estilhaça-me, Liberta-me e Incendeia-me! Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Vanessa,

      Espero que você como eu também se apaixone!

      Excluir
  6. Ahhhhhhhhhhh!! Lendo a resenha bateu uma saudade do livro RSRSR, pois AMO!
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De vez em quando bate uma saudade, queria muito um 4º livro!

      Excluir
  7. Olá, tudo bem?
    Eu ainda não li nenhum livro da trilogia, confesso que por causa do tumulto em volta dela, eu até fiquei com vontade, mas depois acabei esquecendo. O que mais me chama atenção realmente é o Warner, eu ADORO vilões desde sempre, rs.
    Super beijos <3
    http://livros-cores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente não gosto quando os livros viram "modinha" e as pessoas só vão ler por isso, mas realmente vale a pena ler a trilogia e ver como os personagens evoluem e é claro o Vilão <3 que não fica bonzinho, mas que amamos mesmo assim!

      Excluir
  8. Que capa mais linda!! Parece meio frozen, até melhora o calor que tá aqui na cidade só de olhar hahaha não li ainda essa série mas tenho curiosidade. Ainda bem que a história melhorou nesse volume, e o engraçado é que justamente o segundo acaba tendo aquela maldição de ser ruim, né? Acho que essa série é meio do contra hahaha

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "O presente do meu grande amor", vem ver!

    ResponderExcluir