Uma Vez na Vida, de Marianne Kavanagh

           AUTORA: Marianne Kavanagh
           EDITORA: Única
           PÁGINAS: 288
           ANO: 2014


 Uma história de amor, encontros e.... desencontros! Conheça Tess. Obcecada por roupas vintage, ela está sempre enrolada no emprego que detesta e em dúvida sobre seu namorado bonitão Dominic, que conheceu na universidade. Morando em um adorável apartamento com sua melhor amiga, Kirsty, ela poderia se considerar uma pessoa de sorte. Mas se sua vida é tão perfeita, por que ela se desfaz em lágrimas toda vez que pensa no futuro?

Conheça George. Um músico brilhante que divide seu tempo entre brigar com os companheiros de sua banda de jazz e se preocupar com o pai doente. Mas ele sabe que a vida não é só isso. Deve haver mais alguma coisa. Algo especial. Tess e George são duas partes de um todo, almas gêmeas. Para a sorte deles, seus amigos em comum sabem que eles são feitos um para o outro. O problema é que eles não se conhecem e, sempre que a oportunidade aparece, a vida chacoalha os dois para longe. E agora? Se todos têm uma alma gêmea, como o destino faz para uni-los? Acompanhe a história divertida e apaixonante de Tess e George durante uma década de encontros malsucedidos, frustrações românticas e uma dúzia de recomeços. Uma vez na vida é uma comédia romântica moderna e inteligente sobre amizade, destino e oportunidades perdidas e reconquistadas!


Confesso que quando li o título do livro achei que seria mais uma daquelas histórias sobre almas gêmeas que vemos por ai, mas apesar de ser o primeiro livro da autora me surpreendeu bastante.


Pensei muito antes de começar a escrever essa resenha, Uma vez na vida é muito mais do que a estória de duas pessoas que acabam por serem almas gêmeas, ela nos faz pensar naquilo que nós mesmo muitas vezes deixamos de lado em prol de outros interesses.

Tess e George são Jovens com sonhos e expectativas sobre o futuro, ela adora roupas vintage e até pensa em abrir uma loja e ele sonha em ser um músico. Os dois têm vários amigos em comum, porém nunca se encontraram, mas não por falta de tentativas, os dois sempre estavam nos mesmos lugares com os mesmos amigos, daí ficamos na expectativa dos dois se encontrarem e... Nada. 

A narrativa é bem tranquila, acompanhamos o desenrolar da vida dos personagens, suas decisões e como elas afetam a cada um deles, enquanto George e seus amigos tentam fazer sucesso com sua banda de Jazz, Tess tenta se encontrar em sua carreira profissional numa loja de papelaria online.

Uma das coisas que mais gostei, foi que a autora não focou apenas na Tess e George, os personagens secundários tiveram um papel importante para a trama, gostei muito do Rhys, ele faz parte da banda e adivinhem só, além de querer ser poeta é viciado em livros!

“... Daria para pensar que Rhys era um drogado... – Seu problema (e esse era um problema de saúde incomum) era a leitura. Ficava normalmente acordado até três ou quatro da madrugada, ignorando o ardor dos olhos e a dor no pescoço. “São palavras, percebe? Sou viciado” ele dizia. Para sua sorte, Rhys trabalhava em um sebo.”.


Conhecemos também a Kirsty, a melhor amiga da Tess, ela é responsável por dar aquela boa dose de comédia ao livro, ao contrário da amiga Kirsty leva a vida sem se preocupar com o amanha, nunca para em nenhum trabalho e nunca teve um relacionamento por mais de algumas semanas, porém na minha opinião ela foi a personagem que mais amadureceu durante a história.  O livro não tem capítulos, demorei um pouco para me situar, pois de uma hora para outra descobrimos que passaram-se anos, e a Tess e o George continuam na mesmice, ela em seu relacionamento com Dominique desde os tempos da faculdade, e ele conhece Sthefanie uma advogada em ascensão que acaba por leva-lo para Nova York após uma promoção.

Porém chega um momento na vida que você para e pensa se você esta realmente no caminho certo, se realmente é aquilo que você deseja, nos dez anos transcorridos no livro, ouvindo o tempo todo seus amigos falando que eles são almas gêmeas, perfeitos um pro outro, parece até que eles já se conhecem e finalmente quando se encontram percebem que às vezes tudo aquilo que você procura não esta em um emprego legal, ou numa vida estável e sim em alguém. No entanto achei meio forçado esse amor à primeira vista entre os dois, tudo bem que eles já ouviram muito falar um do outro, mas da pra se apaixonar por alguém instantaneamente?

No momento em que a vi, pensou George, sabia quem você era. Foi como se eu já a tivesse visto inúmeras vezes. Mas até esta noite eu não sabia que você era desse jeito. Cabelos escuros, olhos escuros. Um clima de suavidade que me faz querer tocar em você. Você me parece tão familiar! Parece que foi ontem que conversamos. Mas não houve nenhum ontem. Então, por que tenho a sensação de que a conheço?.”

Achei que a autora poderia ter explorado bem mais o romance, pois ficou algo muito morno, ficamos o tempo todo à espera que os dois se encontrem e engatem um romance, e foi essa expectativa que me fez ler o livro em apenas dois dias, porém gostei bastante da mensagem que o livro nos traz, pois muitas vezes nos acomodamos com o que a vida nos impõe e esquecemos que existe um mundo de oportunidades lá fora e que estamos deixando de lado, me fez pensar nas minhas próprias escolhas e aonde elas irão me levar.

UMA VEZ NA VIDA foi cedido em parceria com a EDITORA ÚNICA


SOBRE A AUTORA:








Marianne Kavanagh é escritora e jornalista. Ela já colaborou com as mídias Telegraph, The Mail, The Guardian, My Daily, Easy Living and Red, além de ter sido editora da Marie Claire UK. A autora mora em Londres com seus três filhos e escreve periodicamente a coluna Surviving Teenagers, para o site Parentdish. Uma vez na vida é seu primeiro livro e alcançou status de must-have antes mesmo de seu lançamento. 



5 comentários:

  1. Essa é a primeira resenha que leio desse livro, apesar de já ter visto ele antes. Fiquei interessada por ser um romance diferente, um romance que é "criado" por outras pessoas. Acho que vou gostar.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Já li outras resenhas, até acho que uma não falou tão bem dele, então gostei de saber sua opinião também. Quero muito conhecer a trama.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  3. Ta um livro que até me chama atenção, mas sei lá...ao mesmo tempo que chama atenção eu me desinteresso, bom saber sua opinião quem sabe um dia
    http://contodeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Já vi ele na livraria, mas como a capa não me chamou tanto a atenção, nunca me aproximei nem para ler a sinopse.
    Mas gostei muito da sua resenha, gosto dessa coisas de encontros, desencontros e a vida vai passando...
    Você leu Simplesmente Acontece, da Cecelia Ahern? Meio que lembra essa temática.
    Acho que eu ficaria totalmente perdida sem capítulos, hahaha.

    Beijoooooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  5. Essa capa já chamou minha atenção por diversas vezes nas oportunidades em que fui comprar alguns livros, mas, nunca acabei levando o livro. Gostei de saber que os personagens secundários tem um papel importante na trama e fiquei meio desanimada em saber que a autora não soube explorar bem o romance, que era para ser o ponto alto do livro.

    Bjs!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir