Os Segredos de Colin Bridgerton, de Julia Quinn

           SKOOB: Os Segredos de Colin Bridgerton
           ORIGINAL: Romancing Mister Bridgerton
           SÉRIEOs Bridgerton - Livro 04
           AUTORA: Julia Quinn
           EDITORA: Arqueiro
           PÁGINAS:  336
           ANO: 2014 

Há muitos anos Penelope Featherington frequenta a casa dos Bridgertons. E há muitos anos alimenta uma paixão secreta por Colin, irmão de sua melhor amiga e um dos solteiros mais encantadores e arredios de Londres. Quando ele retorna de uma de suas longas viagens ao exterior, Penelope descobre seu maior segredo por acaso e chega à conclusão de que tudo o que pensava sobre seu objeto de desejo talvez não seja verdade. Ele, por sua vez, também tem uma surpresa: Penelope se transformou, de uma jovem sem graça ignorada por toda a alta sociedade, numa mulher dona de um senso de humor afiado e de uma beleza incomum. Ao deparar com tamanha mudança, Colin, que sempre a enxergara apenas como uma divertida companhia ocasional, começa a querer passar cada vez mais tempo a seu lado. Quando os dois trocam o primeiro beijo, ele não entende como nunca pôde ver o que sempre esteve bem à sua frente. No entanto, quando fica sabendo que ela guarda um segredo ainda maior que o seu, precisa decidir se Penelope é sua maior ameaça ou a promessa de um final feliz. Em Os segredos de Colin Bridgerton, quarto livro da série Os Bridgertons, que já vendeu mais de 3,5 milhões de exemplares, Julia Quinn constrói uma linda história que prova que de uma longa amizade pode nascer o amor mais profundo.


– Poderia me dar um beijo? – pediu Penelope. 
– O quê? – perguntou Colin, ciente de que piscava sem parar. 
– Por favor. 
Ele estava perdido. Havia algo de partir o coração na forma como ela o olhava, como se talvez fosse morrer se ele não a beijasse. Colin não conseguiu se lembrar de mais ninguém que tivesse precisado dele com tanto fervor. Isso o fez desejá-la com uma intensidade de deixar as pernas bambas. Olhou para ela e, de alguma forma, não viu a mulher que vira tantas vezes antes. Penelope estava diferente. Ela brilhava. Era uma sereia, uma deusa, e ele se perguntou como era possível que ninguém jamais o tivesse percebido.
 – Colin? – sussurrou ela. 
Ele deu um passo à frente. Foi um passo pequeno, mas quando tocou o queixo dela e inclinou o seu rosto para cima, os lábios dos dois ficaram a poucos centímetros de distância. Seus hálitos se misturaram e o ar ficou cálido e pesado. Penelope estremeceu, e Colin não pôde ter certeza de que ele mesmo não estivesse tremendo. Imaginou-se dizendo algo insolente e cômico, como o sujeito brincalhão que tinha a reputação de ser. Mas, ao eliminar a distância quase inexistente entre eles, percebeu que não havia palavras que pudessem captar a intensidade do momento. 
Palavras para a paixão. Palavras para a necessidade. 
Não havia palavras para a epifania daquele momento. 
E assim, numa sexta-feira que de outra forma teria sido como qualquer outra, no coração de Mayfair, numa silenciosa sala de estar na Rua Mount, Colin Bridgerton beijou Penelope Featherington. E foi glorioso. 

Ah! Os romances históricos... Têm livros que a gente fica tão feliz por ter terminado, não porque a leitura tenha sido enfadonha, mas porque foi tão prazerosa que o único sentimento que temos ao termina-la é o de puro contentamento.


E foi assim que eu me senti ao ler Os segredos de Colin Bridgerton. Um dos meus irmãos favoritos é Anthony, mas confesso que estava muito curiosa para conhecer a história de Colin, já que ele sempre conquista a todos por onde passa, com o seu jeito carismático, divertido e espirituoso. E eu acabei por descobri que o Colin não é exatamente o que aparenta ser, até agora ele foi um dos irmãos mais complexos.

O livro é quase uma Caixa de Pandora, onde muitos segredos serão revelados. E um dos principais é sobre a verdadeira identidade de Lady Whistledown a graciosa colunista que escreve as Crônicas da Sociedade. Desde o seu aparecimento no livro o Duque e eu, essa escritora tem irritado e viciado os moradores de Londres, que não conseguem mais passar uma semana sem ler uma de suas publicações. Todos ficam instigados com o mistério por trás dessa colunista, e é por isso que lady Danbury, que sempre faz participações engraçadíssimas com a sua língua ferina, desafia a sociedade a descobrir quem é de verdade Lady Whistledown, e oferece uma recompensa generosa de nada mais, nada menos que Mil Libras. E essa é uma das duvidas do livro, será que a Julian Quinn finalmente irá nos revelar quem é Lady Whistledown?


Mas os mistérios não param por aí, Penelope Featherington também tem um segredo, o seu amor por Colin Bridgerton, ela se apaixonou por ele quando tinha 16 anos, e conseguiu manter as aparências de indiferença, mesmo frequentado a casa Bridgerton. Se alguém desconfiou, nunca a questionou, já que no fundo ninguém acreditava que fosse possível haver algum romance entre os dois. Agora com 28 anos, ela é oficialmente uma solteirona, e nem sua mãe tem mais esperanças que ela venha a se casar, o que de certa forma é uma benção para ela, já que por isso a mãe não se importa mais como ela se arruma, ou se veste, e isso é ótimo, pois quem já leu os livros anteriores devem saber como a mãe de Penelope tem um péssimo gosto para roupas.

Colin Bridgerton também já não é mais tão jovem, aos 33 anos, é fato que ele já deveria estar casado, porém ele tem um espirito inquieto, e não consegue ficar num mesmo lugar por muito tempo, é por isso que passa a maior parte dos seus dias viajando, conhecendo coisas novas, buscando encontrar alguma coisa que dê sentido para a sua vida. Colin é bastante complexo, e imaturo, nesse livro descobrimos que ele não é o sujeito sempre alegre que aparenta ser. Ele tem questões existenciais que precisa resolver, e o que eu posso dizer, já não era sem tempo.

Ao voltar de uma dessas longas viagens ele se depara com uma Penelope diferente, uma garota bonita, interessante, e da qual ele deseja ficar cada vez mais perto já que sente prazer na sua companhia, e por isso os dois acabam estreitando mais a amizade, e cada vez ficando mais perto um do outro.

Mas para esses dois ficarem juntos precisam ser sinceros não só um com outro, mas também consigo mesmos. E precisam ter paciência para entender um ao outro. Penelope foi uma grande surpresa nesse livro, ela é uma mulher muito especial, centrada, madura. Já o Colin demonstra que as aparências enganam, e que ate mesmo Penelope que o conhecia há tanto tempo, e havia o colocado sobre um pedestal, vai descobrir que ele é um homem de carne e osso e por isso, cheio de defeitos, mas mesmo assim, o amor que ela sente por ele não diminuiu. Uma das partes mais legais é quando o Colin tenta compreender o que está sentido, como saber que ele não está confundindo as coisas? Como saber se o que sente é realmente amor? Então ele vai falar com a sua irmã Daphne.


“E foi então que ele se deu conta de que Daphne estava certa. O seu amor não tinha sido como um raio caído do céu. Começara com um sorriso, com uma palavra, com um olhar zombeteiro. A cada segundo que passara na companhia dela, crescera até chegarem àquele momento, e de repente ele soube.
Ele a amava.
[...] Talvez aquilo fosse a definição de amor, afinal. Querer uma pessoa, precisar dela e a adorar até mesmo nos momentos de fúria, quando se tinha vontade de amarrá-la à cama só para que ela não saísse e causasse ainda mais problemas.”


Então queridos leitores, quem resiste a uma boa história onde uma bela amizade se transforma em amor, até mesmo Jane Austen se rendeu a essa narrativa, está aí Emma que não me deixa mentir. Só a Julia Quinn consegue pegar um tema tão comum e transformar numa historia encantadora. 



OS SEGREDOS DE COLIN BRIDGERTON foi cedido em parceria pela EDITORA ARQUEIRO
SOBRE A AUTORA:


Julia Quinn começou a trabalhar em seu primeiro romance um mês depois de terminar a faculdade e nunca mais parou de escrever. Seus livros já atingiram a marca de 8 milhões de exemplares vendidos, sendo 3,5 milhões da série Os Bridgertons. É formada pelas universidades Harvard e Radcliffe. Seus livros já entraram na lista de mais vendidos do The New York Times e foram traduzidos para 26 idiomas. Foi a autora mais jovem a entrar para o Romance Writers of America’s Hall of Fame, a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos, e atualmente mora com a família no Noroeste Pacífico. 



13 comentários:

  1. Oie,
    nossa eu adoro essa série.
    Ainda não consegui ler este livro, mas estou bem curiosa.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode começar e vc não vai se arrepender Vanessa.
      Bjs

      Excluir
  2. Tenho os três primeiros livros aqui em casa, mas ainda não li nenhum. Quero muito comprar esse. E acho que só vou começar quando lançarem todos, gosto de pegar e ler na sequencia.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sil, vc tá certa, é ruim começar e ter de esperar o próximo ser lançado para a gente ler....
      Bjs

      Excluir
  3. Quero ler essa série (na real todas da arqueiro de época, rsrs), mas nunca sobra $$$ ;(
    Quando comprar vou comprar todos para se eu gostar já tê-los. rsrs
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Dessa, a Arqueiro caprichou na escolha dos livros e na produção das capas, dá vontade de ter todos.
      Bjs

      Excluir
  4. Oi Amanda.
    A Julia é uma autora que sempre agrada né, nunca li um livro dela que no final ficasse decepcionada, sempre termino seus livros sorrindo.
    Esse livro foi tão perfeito, mas admito que senti falta de Lady Whistledown.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Paty, confesso que senti, e sentirei muito a falta de Lady Whistledown, achei a descoberta prematura, queria a participação dela em todos os livros ^^
      Bjs

      Excluir
  5. Nunca li um romance histórico, acho que não faz muito o meu estilo, mas mesmo assim pretendo ler algum dia, quem sabe não mudo os meus pensamentos sobre o gênero? Beijos!

    http://frases-perdidas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh Gabi, espero que vc dê mesmo uma chance para os romances históricos, aconselho a começar pelos da Julia, pq se vc n gostar do romance ao menos vai conseguir dar algumas risadas rsrs
      Bjs

      Excluir
  6. Ontem acabei O Duque e Eu.
    Ai, gente, amor eterno pelos Bridgertons, e olha que estou ainda no primeiro, haha.
    Sei pouco sobre eles ainda, mas já adorei o Colin, mas por enquanto Anthony tem meu coração. E o duque de Hastings também.
    :P

    Beijos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh Teca é cada um melhor que o outro, mas Anthony tbm é o meu favorito até agora *-*
      Bjs

      Excluir
  7. Apesar de ter gostado bastante do livro, esperava um pouco mais. Porém nada que atrapalhe a qualidade da escrita e do romance :)

    Beijos
    http://manualinvertido.com/

    ResponderExcluir