Príncipe da Noite, de Germano Pereira


          SKOOB: Príncipe de Noite
           ORIGINAL: Príncipe da Noite
           AUTORA: Germano Pereira
           EDITORA: Novo Conceito
           PÁGINAS:  405
           ANO: 2013





Toda manhã, o psicanalista Gabriel se surpreende ao acordar: sempre encontra uma mulher diferente dormindo ao seu lado. Ele nunca se lembra do seu nome, nem da maneira como a conheceu. A única coisa que resta de suas aventuras noturnas é um lapso de memória. Mas esta noite tudo se repetirá: quando cruzar com uma bela mulher, na noite seguinte, perderá o controle de quem é, porque o seu outro “eu” é capaz de tudo para satisfazer seus desejos mais primitivos. Mantendo esse segredo somente para si, Gabriel leva uma vida aparentemente normal na grande Londres, ouvindo diariamente os problemas de seus pacientes, enquanto tenta fugir das loucuras de sua ex-namorada. Mas nada é verdadeiramente normal para um homem que pode ser controlado pelo Príncipe da Noite...


 Quando vi a capa e li a sinopse de Príncipe da Noite, achei que ia ser O livro. Tinha extremas expectativas com relação a história, porém sabe quando você começa a ler um livro, e já nas primeiras páginas percebe que a narrativa não vai te conquistar? Tive sérios problemas em me envolver com o enredo do autor Germano Pereira, mas li até o fim, com esperanças de me surpreender no final, mas nada aconteceu.

 Gabriel é um psicanalista brasileiro que mora em Londres, ele tem uma vida aparentemente normal, um bom emprego em um consultório, participa de vários congressos, e tem muitos amigos. Porém, vive em uma situação nada comum, ele divide sua personalidade, e suas noites com o seu outro ''eu'' intitulado Príncipe da Noite, se tornando assim um homem atraente, que encanta e seduz várias mulheres. Gabriel sabe da existência do Príncipe da Noite, mas geralmente não se lembra de nada do que ele apronta com as mulheres, deixando-o assim sem saber o que fazer quando acorda ao lado de uma de suas conquistas, e dos sapatos das mesmas, já que o 'Príncipe''  parece ter um fetiche por eles.

 No seu dia-a-dia Gabriel tem uma vida bastante agitada também, já que vem sofrendo com ameças de alguém que diz saber um grande segredo seu, segredos esses relacionados a sua ex-namorada, que por acaso era casada, um relacionamento que gerou uma grande tragédia para os dois... Gabriel também precisa lidar com os conflitos de sua ex- paciente que sofre de câncer, e  por quem nutre um sentimento especial. Mas de quem ele irá gostar mesmo é de Manuelle, uma locutora de rádio que foi um dia o grande amor de sua juventude. Mas o Príncipe da Noite, deixará eles serem felizes? Que segredos obscuros escondem o Príncipe da Noite? E Gabriel, quem estaria perseguindo-o? E o que querem dele?


 Não gostei da narrativa do autor logo nas primeiras páginas, sabia que seria uma leitura difícil por ser filosófica e metafórica demais, os diálogos são poucos e ao mesmo tempo extensos, algumas palavras são incompreensíveis e divagantes sobre assuntos relacionados ao ser humano, e a vida, tudo muito maçante. Me peguei várias vezes com vontade de largar o livro e nunca mais lê-lo, meu desejo de virar as páginas sem terem lidas era enorme, e os personagens não me cativaram, nenhum deles.

 Depois de ler Príncipe da Noite, percebi que não quero ler mais livros que tendem ao filosofismo, é chato, me faz querer abandonar a história, e os personagens são enfadonhos. Assim que você termina de ler, é como se chegasse ao ponto que começou a leitura, sem entender absolutamente nada. Príncipe da Noite é assim, um livro entediante e cansativo, que com certeza não voltarei a reler. Mas quero deixar claro que essa é a minha opinião, fiquem livres para ler e depois me digam se gostaram da história.  



PRÍNCIPE DA NOITE foi cedido em parceria pela EDITORA NOVO CONCEITO



SOBRE O AUTOR:





Graduado em Filosofia pela USP, é ator e dramaturgo. Atingiu reconhecimento nacional ao atuar em novelas na Rede Globo, mas também possui uma longa trajetória no teatro: está na companhia Os Satyros desde 1999. Com o grupo participou, como ator e como dramaturgo, de montagens importantes, entre elas o musical Um Violinista no Telhado. Atuou ainda em cinco longas-metragens e é embaixador cultural de sua cidade natal, Joinville. 

11 comentários:

  1. Pra ser bem sincera, a sinopse não me chamou nenhuma atenção. Acho a premissa fraca, não leria esse livro.

    Beijão, Eli!

    ResponderExcluir
  2. Ahhh Elidiane, ele é graduado em filosofia, tá explicado! rs Sou como você, nem um pouco fã de livros assim. E a história, pelo enredo, tinha tudo para dar certo mesmo. Uma pena!!

    Beijos,

    Marcelle
    www.bestherapy.net

    ResponderExcluir
  3. Bah, uma pena o livro ser tão desgastante pra você. Não me interessei logo de cara por ele, por isso nem o pedi como cortesia. Ainda bem por que acho que a leitura seria ruim também pra mim.

    Beijos
    http://mon-autre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Sei exatamente como se sente, eu já tive essa experiência com alguns livros e foi um martírio terminar... Eu simplesmente não me conectei com os personagens e muito menos com o enredo e isso tortura qualquer um. Eu fiquei me perguntando qual era o sentido de ler algo ao qual eu não estava recebendo nada em troca; nenhuma alegria ou relaxamento, mas... Eu sou uma pessoa teimosa e quando começo um livro tenho que terminar, em toda a minha vida só abandonei 3 livros porque eram mais que torturantes.

    http://worldbehindmywall.fanzoom.net/

    ResponderExcluir
  5. Oi Eli, que pena que o livro não funcionou para você. Tenho ele em casa e morro de curiosidade de ler, mas achei que era mais voltado para o mistério do que para a filosofia. Uma pena mesmo, espero que a leitura flua melhor para mim.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oie, tudo bom?
    Livros filosóficos realmente cansam durante a leitura. Essa é a primeira vez que leio uma resenha desse livro e confesso que fiquei bem desanimada. Ainda mais que os personagens não prendem o leitor.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Apenas uma estrelinhas??? Acho que fiz uma excelente escolha ao não solicitar esse livro a editora. A sinopse é instigante e por pouco não fiquei realmente interessada nele, mas decidi que leria depois. Agora não vou querer ler de jeito nenhum, rsrsrs.

    Beijos
    Caline - Mundo de Papel

    ResponderExcluir
  8. Ah quando vi este livro como lançamento, fiquei bem interessada, eu tinha gostado do enredo. Que pena que o livro não é nem um pouco bom, eu pretendia lê-lo, mas agora fiquei bem receosa, pois não gosto muito de livros tendem ao filosofismo, acho que este não me agradaria de jeito nenhum rs
    beijos

    ResponderExcluir
  9. Sinto muito o livro não ter sido bom para você, gosto de filosofia, e coisas do gênero e sinto certa curiosidade para ler o livro. Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Lendo a sinopse achei bem interessante, mas assim que comecei a ler a resenha já me desanimei hehehehe. Acho que não me daria bem com ele também.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  11. Oi! Bom, já li uma resenha super positiva do livro, sendo que o meu amigo que leu costuma gostar de narrativas assim, cheias de filosofia e tudo mais. Não tinha interesse em ler antes, imagine agora. Boa resenha!

    Um beijo!
    Doce Sabor dos Livros - Aguardo sua visita! ♥

    ResponderExcluir